Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2018

chamas e velas

Imagem
9 de julho de 2018
Como escrever para descrever o que sinto Se não sei o que sinto? Se sou como chama na vela Que se falha, apaga Que se queima, diminui Clarear deixar a mesma sequela Que o escuro gerado pela ausência de luz
O fim
Devo fragmentar minha intensidade para durar mais Ou perecer em um êxtase luminoso? O breu torna mais belo o meu dançar Ao mesmo tempo que ameaça me abraçar Num jogo transcendental e perigoso
Mas o que devo escolher Se não sei o que sinto?
Se também sou como a vela da chama Que se reutiliza, acende Que se diminui, funciona Que é feita para perecer E que feliz vai morrer Por ter servido de sustentador
Ah, o calor Sinto que posso escrever para o descrever Mas o que sinto não diz o suficiente A gente não entende quando vê Precisa tocar para entender A corporeidade-inexperiente O calor-amor Que a vezes sentimos
Incendeia Fragmenta
Poderia eu viver indecisa Caminhando entre ideais Ou tal pensamento é só uma utopia? Ser como vela e chama Nem mais um ou outro Ada…